A Terra e o Céu

PREFÁCIO

A Terra e o Céu


    “Então ouvi a quarta Criatura dizer: ‘Venha’ e apareceu um cavalo baio, o nome do cavaleiro era Morte e o Inferno o seguia de perto.”
- Apocalipse 6

    Esquece tuas expectativas sobre este livro; não há como prever o que encontrarás aqui. Recordemos que os números são uma linguagem universal, e nesta forma CLXV ou 16890 é a revelação do Arquétipo Primordial Divino presente na forma básica de todas as coisas, uma espécie de chave mestra que até então se encontrava oculta, latente em formas e ensinamentos do esoterismo, ocultismo, cultura e religião.

   Este livro possui uma cadência ascendente, pois ao mesmo tempo que somos conduzidos a nos aprofundarmos no conhecimento do símbolo e dos mistérios, temos, também, a sensação de elevação. Estamos vivendo o fim de uma raça e é neste momento que os últimos e maiores ensinamentos são revelados para que haja uma preparação para a próxima raça.

   O autor nos narra, ora em primeira pessoa, ora em terceira pessoa, ora de maneira impessoal, parte do seu caminho espiritual, bem como seus primeiros contatos, ainda na infância, com a Divindade e os diferentes estados conscientivos. Sua história traz alento e esclarecimento às pessoas que se sentem inclinadas à espiritualidade, pois cada vez mais este sentido tem sido esquecido e até rejeitado em nossa sociedade.

   Ao mesmo tempo, nos faz perceber que nossos conceitos sobre nós mesmos não devem confundir a jornada da nossa Alma. Uma coisa é o que acreditamos ser, e outra coisa distinta é quem realmente somos, e este, não está limitado pelo que aprendemos a erroneamente acreditar. De toda forma, nos encoraja na busca espiritual impulsionada e guiada por nós mesmos, pelo nosso verdadeiro Ser.

   Convido-te a ouvir e ler com os sentidos do espírito esse mensageiro que relata e traduz sua experiência mística, seu próprio caminho espiritual, no qual o vislumbre de um símbolo místico o conduz à reflexões, revelações, compreensões e aprendizados esotéricos, que até a data de lançamento deste livro, contabilizam 15 anos. Notará o leitor que este número (15) não é ao acaso, pelo contrário, tem acompanhado o escritor de maneira mágica.