Palavras e Silêncio

POSFÁCIO

Palavras e Silêncio


    “Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas.
A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora.
E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz.
Mas de modo nenhum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos”
- João 10

    “Amor é Lei, porém Amor Consciente”. Podemos começar com esta frase para poder expressar o regozijo, a alegria e a honra de ver esta Obra cristalizada. Vemos o Amor de Deus para conosco mediante a entrega do Arcano CLXV, ou Arcano 165 (16890), o qual em síntese é o Mistério Primeiro e também o Último.

    A obra do autor aborda a luta e a conquista de encontrar, ou reencontrar tão inefável mistério. Símbolo este com o qual o autor da Obra se “depara” em um momento pessoal de grande tribulação, de enorme sacrifício. E como o próprio relata, que o comum é o homem se deparar no mundo das formas com as “Artes”, os símbolos, os livros sagrados, etc... e então buscar encontrar o princípio do qual emana determinada forma. No caso do autor vemos que o mesmo encontrou, ou reencontrou, tal princípio universal, para então depois de novamente descendendo à matéria, procurar onde estaria plasmado tal princípio, ou sua expressão.

    Em realidade e em verdade vemos o sacrifício da parte humana, em buscar, preencher o vazio no coração de um homem, e nesta busca incessante e de certa forma agonizante, vemos este novo conúbio universal se plasmando em seu coração, para que doravante o guiasse em sua jornada, de muita tribulação, porém de muita conquista também.

    Não é ao acaso que este Arcano é o Arcano Universal, o Grande Mistério Universal, pois como vemos na Obra, o CLXV, o 165 nos dá o 12, que é o Apostolado. Onde Deus faz seu supremo esforço em descer, e o homem faz o sacrifício, é seu fiel Apóstolo, seu mensageiro, para que a divindade, ou o Mistério desta Divindade, desça e redima a humanidade.

    E esta jornada do homem para com Deus, e de Deus para com o homem, traz-nos inspiração, honra e alegria, pois é a chave universal, é a última cartada da Divindade, para preparar aqueles que ainda buscam realmente Deus em seus corações, nos encoraja a seguirmos adiante, humildes, porém valentes, de que sim podemos encarnar este mistério, se não por completo, pelo menos frações do mesmo, para que nos preparemos para a futura raça, a qual sim, compreenderá melhor este grande Mistério.

    Os ensinamentos aqui tratados nesta Obra convidam a nós pecadores, e densos de coração - mas buscadores da Verdade - a transformar-nos, transmutando esta energia densa na Luz mais pura. A qual pode ser sintetizada na máxima alquimista: “Queima teus livros e branqueia o latão”.

    Já dizia o Cristo Jesus que ele veio buscar aos pecadores, em outras palavras, aqueles que sim, são pecadores, contudo estão arrependidos. A natureza é cíclica e de tempos em tempos vemos o esforço das divindades para trazer os mistérios para a redenção dos pecados. Estamos às portas do fim da raça humana, da atual raça Aria, onde este ingente Mistério é entregue de forma extraordinária. Novamente tal qual Moisés e Josué em seus tempos, guiaram um povo, purificando-o e purgando-o de forma a que este povo estivesse apto e preparado para receber a Deus e seus Mistérios. Por isto a Palavra se faz silenciosa, e aqueles que falam, em realidade não falam, e os que calam, O encarnam, para que quando se fale a Verdade seja manifesta. “Aqueles que tenham ouvido, ouçam o que o Espírito diz às Igrejas”, já diziam as sagradas escrituras.

    Concluímos dizendo que anelamos que aquele que leia esta Obra, que seja de coração aberto, sem dogmas, sem preconceitos, “abertos ao novo”. Somente assim é possível poder penetrar nos corações as emanações da Verdade, desta Grande Verdade ou Grande Mistério Universal, já que a Verdade ou o Mistério em si, só é possível ser acessado por aquele que O vivencia, que O Encarna.